sábado, 17 de setembro de 2011

 
 

Emenda de Gastão Vieira financiou obra paralisada

 
Recursos destinados por Gastão Vieira sairam do Ministério do Turismo. Novo ministro diz haver briga política em Buriticupu e que as acusações têm essa motivação.

Prazo para a conclusão do balneário era agosto de 2010. Foto: Reprodução / Blog do Neto Ferreira
Prazo para a conclusão do balneário era agosto de 
 2010. Foto: Reprodução / Blog do Neto Ferreira

O novo ministro do Turismo, Gastão Vieira (PMDB-MA), destinou, em 2008, R$ 390 mil para a construção de um Balneário no povoado de Sagrima, em Buriticupu, que até hoje não ficou pronto.
A obra foi orçada em mais de R$ 445 mil e todo o recurso foi depositado na conta da prefeitura em dezembro de 2008 pelo Ministério do Turismo. Na época, a empresa vencedora da licitação foi a Construtora Malta, que pertence ao engenheiro João Carlos.
O prazo para a conclusão do balneário (galpão com bares e banheiros às margens de uma lagoa do município) era agosto de 2010. Mas o que há no local são paredes com rachaduras e sem acabamento, além do teto. As divisões internas não foram feitas.

No local, apenas paredes com rachaduras e sem acabamento, além do teto.

No local, apenas paredes com rachaduras e sem acabamento, além do teto.
Em resposta ao blog, Gastão Vieira confirmou que os recursos foram destinados através de sua emenda parlamentar. Só que atribuiu a culpa somente ao prefeito em não ter concluído a obra e que a responsabilidade de fiscalizar seria da Caixa Econômica Federal.
“A emenda parlamentar foi destinada para a obra citada sim, como várias outras que fiz ao longo de minha carreira parlamentar. Agora, quanto a execução da obra, divide-se a responsabilidade entre a Caixa Econômica Federal, de fiscalizar para que seja efetuada a liberação do recurso, e da Prefeitura Municipal, de concluí-la”, disse Gastão.
Vieira tomou posse nesta sexta-feira na pasta. Ele substituiu Pedro Novais (PMDB-MA), que deixou o cargo depois de a Folha revelar que ele usava funcionários pagos com dinheiro público em atividades particulares.


Fonte: Blog do Luís Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário